Tantos requerimentos para a Cemig, a maioria cobrando serviços para a população; os requerimentos mostram que a Cemig pública pode ser cobrada pelos políticos, agentes públicos e sociedade em geral. Se fosse privada, a empresa atenderia se quisesse, sem satisfações  e, certamente, avaliaria se as demandas trariam lucro. 

 

Confira abaixo a matéria publicada pelo Portal da ALMG: 

 

Comissão quer esclarecimentos sobre venda de sede da Cemig 

Em sua reunião na quarta-feira (4/11/20), a Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou mais de dez requerimentos, vários deles direcionados à Cemig. Um deles é um pedido de informações ao presidente da empresa sobre a possível venda do seu edifício-sede e detalhes envolvidos nessa transação.

De autoria do deputado Ulysses Gomes (PT), o requerimento, também direcionado ao presidente da Forluz (empresa de Seguridade Social dos funcionários da Cemig), busca esclarecer se a venda já foi realizada. Solicita ainda informações sobre avaliação do Conselho quanto à pertinência do negócio neste momento do mercado imobiliário, bem como sobre o valor avaliado e os responsáveis por esse cálculo.

O parlamentar também pediu dados sobre o corretor da venda e a quantia que este receberá pela corretagem do imóvel. Questionou ainda se houve algum tipo de concorrência ou se foi realizada a venda direta a um determinado comprador, o qual deverá ser identificado, conforme o requerimento.

Ulysses Gomes quer esclarecer a justificativa para a adoção dessa modalidade de venda, qual o valor pago e a forma de pagamento (no caso de já ter sido efetuado o negócio). Por fim, questiona se o contrato de aluguel com a Cemig continua vigorando e até quando isso ocorrerá.

Eletrificação

Ainda para a Cemig foram direcionados pedidos de providências para extensão de rede elétrica nas comunidades de Mandacaru e Brejinho, em Montes Claros (Norte) e para o usuário Luz Mineira Construções Elétricas, em Curral de Dentro (Norte). O último requerimento é de autoria da Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização e os dois primeiros, da Comissão Extraordinária das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos. Essa comissão solicita ainda atendimento às demandas de eletrificação rural, listadas pela Associação Comercial do Agronegócio do Norte e Nordeste de Minas.

Os deputados Carlos Pimenta (PDT) e Antônio Carlos Arantes (PSDB) pedem providências para atender a essas regiões, que enfrentam estiagem prolongada. Eles solicitam ao Governo de Minas a realização de ações prioritárias e planos estratégicos para minimizar os efeitos da seca, bem como a busca de apoio do governo federal.

Leilão

O deputado Gil Pereira (PSD) pediu providências para que Minas Gerais seja incluída no próximo leilão de linhas de transmissão. Ele destaca que especialmente o Norte do Estado deve ser incluído, uma vez que é deficitário em sistemas de transmissão. O requerimento é direcionado ao Ministério das Minas e Energia, à Agência Nacional de Energia Elétrica, à Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e ao Operador Nacional do Sistema (ONS).

Outros requerimentos foram direcionados ao governador do Estado, Romeu Zema (Novo). A Comissão das Energias Renováveis pede que seja agilizada a atualização dos mapas solarimétrico e eólico de Minas Gerais. Também essa comissão solicita sua inclusão como participante do programa governamental Sol de Minas.

Já a deputada Ione Pinheiro (DEM) requer a implantação do programa de Eficiência energética em hospitais nos seguintes municípios: Alvinópolis e Rio Piracicaba (Central); Guaraciaba, Matipó, Piranga e Raul Soares (Zona da Mata), Ibirité, Mateus Leme, Santa Luzia e Vespasiano (Região Metropolitana de Belo Horizonte); e Inhapim (Rio Doce).

Por fim, o deputado Professor Irineu (PSL) pediu providências à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico no sentido de que a Cemig estude a redução de prazos para realização dos serviços solicitados à empresa.

Fonte: Ascom Sindieletro-MG

Fechar Menu