Trabalhadoras e trabalhadores de vários estados do País que compõem o CNE, inclusive do STIU-DF, entregaram na tarde desta terça-feira (6) a pauta de reivindicações nacional e específica para o diretor Jurídico e de Gestão, Alexandre Aniz, da holding Eletrobras e representantes das demais empresas do grupo.

Na ocasião, a categoria fez o registro de algumas denúncias. Uma delas foi sobre situações de demissões arbitrárias que estão acontecendo na empresa Amazonas Energia. O assunto deve ser novamente tratado no próximo dia 27, em Brasília, quando deve ocorrer a primeira rodada de negociação.

Outra denúncia feita foi referente à tabela salarial de nível médio que foi reduzida de 92B para 62B. Na prática, isso inviabiliza a evolução funcional pelo rito de mérito e antiguidade.

O dirigente sindical do STIU-DF, Wandyr Ferreira, chama atenção que essa prática é arbitrária. “Por se tratar de um plano em vigor, isso jamais poderia ocorrer de forma unilateral”, aponta.

No dia 28, as lideranças sindicais devem discutir com a direção da empresa a avaliação de parâmetros funcionais e técnicos, que nortearão a possível distribuição da PLR 2017 para as empresas do grupo Eletrobras.

Também foi entregue a Aniz ofício pedindo a prorrogação do ACT vigente, cujo prazo de validade termina no dia 31 de abril. O objetivo é garantir todos os direitos e benefícios garantidos no Acordo até o fim das negociações.

Texto: Henrique Teixeira- Jornalista STIU-DF

Fechar Menu