Os trabalhadores rejeitaram por unanimidade nas assembleias realizadas em todo o Estado a contraproposta da Copasa para o Acordo Coletivo de Trabalho 2019.
A categoria entende que a “nova” direção da empresa encaminha uma política de cortar direitos, achatando valores de salários e benefícios, e pretende aumentar ainda mais esta tragédia com demissões, maior carga de trabalho, aumento ilegal de jornada e não pagamento das primeiras 4 horas.

Esta estratégia patronal vai na contramão do atendimento de necessidades prementes para que a Copasa mantenha a qualidade nos serviços prestados à população.

Não haverá condição de manter a boa imagem da empresa com uma política que encaminha o seu sucateamento e a total desvalorização do seu quadro profissional.

Esta é, na avaliação de todos, uma política suicida que encaminha a empresa moribunda para as mãos dos defensores da sua privatização, a venda de um patrimônio público de serviço essencial para a saúde da população.

Os trabalhadores rejeitaram a contraproposta da empresa, mas nos mantemos firmes em nossa responsabilidade com os serviços essenciais e aguardamos que a direção da Copasa retorne ao diálogo na mesa de negociação coletiva para construirmos uma proposta de Acordo Coletivo que compatibilize os interesses da categoria e da própria empresa.

 

Fechar Menu