Enquanto a atividade econômica desaba em meio à pandemia da covid-19, e processos no Judiciário avançam sobre o entorno do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro aumentou as cobranças ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Sem conseguir entregar o que prometeu desde a aprovação da reforma da Previdência, Guedes está ficando sem argumentos para manter o discurso otimista de retomada robusta da economia após a crise. A recessão e a falta de um plano de retomada devem aumentar a pressão de Bolsonaro sobre Guedes até o fim do ano, segundo uma fonte de um banco de investimento. Resta saber se o ministro vai aguentar até lá. Especialistas temem que privatizações comecem a ser feitas com o objetivo de acobertar as tensões políticas. Para Fabio Izidoro, sócio do Miguel Neto Advogados, a venda da Eletrobras é uma grande oportunidade para o governo. Mas a proximidade com o Centrão pode dificultar a privatização da estatal. “Estão dentro do pacote grandes empresas como Chesf e Furnas, e a gente sabe que alguns políticos trabalham em cima de cargos em estatais”, alertou.

Fonte: Correio Braziliense- Editoria de Economia

Fechar Menu