As regiões metropolitanas no Brasil surgiram com o objetivo de integrar as políticas públicas comuns a mais de um município. Criou-se a expectativa de que os problemas sociais urbanos seriam resolvidos com maior eficiência e agilidade com a instituição de  um ente metropolitano que planejasse a atuação conjunta e coordenasse a execução
de obras e serviços de interesse comum em todo o território. A experiência de gestão metropolitana iniciada na década de 60, sob os auspícios do governo autoritário, teve seu auge na segunda metade da década de 70. Por vários motivos, perde força ao longo da década seguinte, quando se desarticula o sistema de planejamento idealizado pelo governo central e pela ausência de políticas públicas adequadas para enfrentar os desafios. Com isso, os problemas das metrópoles brasileiras foram se agravando ao longo do tempo.

Leia o artigo completo clicando no link abaixo.

Link Artigo Abelardo.ABRAP.Gestão do Saneamento básico em regiões metropolitanas

Fechar Menu