Na lista, estão o favorecimento do mercado com a entrega do controle acionário da empresa, demissão de 12 mil trabalhadores e a penalização da população brasileira com o aumento da tarifa de energia. Além disso, na gestão da Eletrobras, Wilson Pinto solicitou um aumento de 46% para o próprio salário, ao mesmo tempo em que negocia um reajuste de 1,69% para a categoria eletricitária. A contratação da FSB comunicação por R$ 2 milhões para depreciar a estatal e facilitar o processo de privatização é outra atitude que inviabiliza a continuidade do atual presidente à frente da maior estatal elétrica da América Latina. Saiba mais em: https://bit.ly/2JUlpcP

Fechar Menu