Foi um dia de intensa luta. É verdade que não conseguimos vencer a nossa primeira batalha que era impedir a realização da Assembleia Geral de acionistas da Eletrobras, nesta quinta-feira (8/2), onde prevaleceu o voto pela venda de seis distribuidoras do Norte e Nordeste.

Mas uma luta se faz com muitas batalhas. Essa foi apenas uma. Temos que continuar em frente lutando pelo que acreditamos: um país justo e soberano, sem o ‘entreguismo’ do patrimônio nacional; garantindo a prestação de serviços de qualidade ao menor preço possível aos consumidores; conquistando condições de trabalho e remuneração dignos.

Especialmente neste importante momento pelo qual um governo ilegítimo tenta promover a todo custo o desmonte do setor elétrico nacional, a FNU/CNU, ao lado dos sindicatos filiados e trabalhadoras e trabalhadores do setor, está aguerrida nessa tarefa de lutar contra a privatização da Eletrobras, fazendo o enfrentamento e a pressão no campo político, junto aos parlamentares, e no campo jurídico, apelando com ações baseadas em nossa Constituição.

Não vamos nos deixar deter por aqueles que não querem o bem de todas as brasileiras e brasileiros e apenas defendem os interesses de uma minoria.

Queremos parabenizar aqui as trabalhadoras e trabalhadores por essa quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018, onde a categoria dos eletricitários deu um exemplo de como se luta, realizando paralisações não só em defesa dos seus direitos, mas também em defesa do que pertence a todo o povo brasileiro.

Pedro Blois
Presidente da FNU – Federação Nacional dos Urbanitários

Nossa luta está apenas começando!
Urbanitários unidos!
Não à privatização da Eletrobras.
Energia não é mercadoria

Deixe uma resposta

Fechar Menu