Apesar da resistência dos trabalhadores e da oposição, os deputados aliados do governo Eduardo Leite (PSDB) autorizaram, na calada da noite desta terça-feira (2), a privatização da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), da Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e da Sulgás. A sessão do plenário da Assembleia Legislativa durou quase sete horas.

Os projetos de lei enviados pelo governador foram aprovados por 40 votos a 1440 a 14 e 39 a 14, respectivamente. Votaram contra as bancadas do PT, PDT, Psol e o deputado Rodrigo Maroni (Pode).

Vários trabalhadores da CEEE, CRM e Sulgás, junto com dirigentes de entidades sindicais, ocuparam as galerias da Assembleia e protestaram contra a entrega das três empresas públicas do setor energético, que são estratégicas para o desenvolvimento econômico e social do Estado.

O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, criticou a decisão da maioria dos deputados. “A história só se repete como tragédia ou como farsa. Há 20 anos, o governo Britto vendeu a CRT e parte da CEEE. Não resolveu nada e só agravou o problema da dívida do Estado. Para os trabalhadores, trouxe demissões e precarização. Para a população, aumentou as tarifas e piorou a qualidade dos serviços”, disse.

Clique no link ao lado e leia a matéria completa no site da CUT-RS http://twixar.me/zvK1

Fechar Menu