O Sindágua-MG conseguiu com a direção da Copasa a antecipação para março do pagamento da segunda parcela da PL 2017, que estava programada para abril.

Nas negociações que desenvolveu com a Copasa, o Sindicato argumentos que esta antecipação permitiria menor impacto dos vários descontos de início de ano (IPTU, IPVA, seguro de carro, matrícula escolar), pelo menos para os sindicalizados e demais trabalhadores que decidiram contribuir também com o valor de um dia de trabalho para o SINDÁGUA. Nada mais justo do que minimizar o desconto para os que aceitaram mais este desconto, entre os vários regulares de início de ano.

Na reunião da Diretoria Executiva da empresa, no entanto, o pedido do Sindicato obteve decisão ainda ampliada, permitindo que a antecipação fosse concedida para todos os trabalhadores.

Esta é mais uma vitória do Sindicato, que já havia garantido em acordo coletivo também a antecipação para pagamento em outubro de parcela da PL/2018, a ser paga em 2019.

A ação do Sindicato demonstra a importância das negociações coletivas e da representatividade para negociar benefícios coletivos para a categoria, condição que só pode ser mantida com uma organização estruturada e capacitada para defender os interesses dos trabalhadores. Cada vez o movimento sindical depende da consciência de classe dos trabalhadores, para confrontarmos as mudanças nocivas da reforma trabalhista, que dá aos patrões ferramentas que permite isolar cada empregado, com o objetivo de quebrar as mobilizações coletivas implementadas pela organização sindical. É imprescindível fortalecer os sindicatos, principalmente após a condição posta pela reforma de prevalência do “acordado sobre o negociado”. Só vão sobreviver os direitos que tiverem um sindicato organizado e estruturado para defendê-los e, para isto, a organização dos trabalhadores precisa ser mantida com a sindicalização e participação dos trabalhadores nas lutas.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu