Mais uma vitória dos trabalhadores. O SINDÁGUA conseguiu, nesta quinta-feira (28/6), suspender a implantação das novas escalas de plantão nas áreas operacionais da Copasa, em reunião com as diretorias de Operações Metropolitana e de Gestão Corporativa da empresa, até que seja estudada uma nova solução. A medida pretendida feria Acordo Coletivo de Trabalho e teve pronto repúdio e reação do Sindicato.

Tão logo recebeu o ofício em que a Copasa afirmava que iria adotar a medida, contrariando determinação do Ministério Público do Trabalho (MPT), o Sindicato acionou imediatamente o seu departamento jurídico e entrou com representação na procuradoria do MPT, pois a Copasa estava atropelando prazo solicitado, inicialmente de 30 dias, e estendido por mais 60 dias para que uma comissão formada por representantes das duas partes buscasse uma solução.

Informamos ao Ministério Público que a medida da Copasa pretendia transformar plantões em escalas de revezamento, sujeitando os trabalhadores a jornadas extenuantes para suprir a grande carência de mão de obra e evitar o pagamento de horas extras.

Na reunião desta quinta-feira, com a participação do presidente do SINDÁGUA, José Maria dos Santos, e de outros diretores da entidade, prevaleceu o bom senso. A Copasa reconheceu que a mudança era irregular e traria sérios prejuízos para os trabalhadores e a empresa e resolveu suspender a implantação das escalas de plantão.

Deixe uma resposta

Fechar Menu