Em reunião realizada na tarde da segunda-feira (28) na sede da CUT-RS, com a presença do Dir. do Senergisul Alexandre Pivatto, foi marcado para o dia 21 de fevereiro, em Porto Alegre, o relançamento da Frente em Defesa do Patrimônio Público, com o objetivo de unificar e fortalecer a luta contra a privatização de empresas públicas estaduais e federais.
Dirigentes de diversos sindicatos e federações, representantes de trabalhadores de várias estatais participaram do encontro.

Ficou definida, ainda, a elaboração de um jornal unificado e de uma marca para a identidade visual do movimento, assim como a realização de audiências públicas em câmaras de vereadores para mostrar à sociedade o papel e a importância dessas empresas.

“Os novos governos estadual e federal mal tomaram posse e já deram sinais de que pretendem entregar patrimônio público e, por isso, precisamos mobilizar todas as categorias atingidas, dialogar com a sociedade e pressionar os parlamentares contra a venda de empresas públicas”, Maria Helena de Oliveira – secretária de Formação da CUT-RS.

“A privatização é um mau negócio para o Estado e o País, uma vez que a venda de patrimônio representa apenas um alívio imediato no caixa, mas depois piora as contas públicas, na medida em que não entrarão mais os lucros futuros dessas empresas. Além disso, a população sai perdendo, pois os serviços privados são bem mais caros, como é o caso da telefonia, e milhares de trabalhadores são jogados no olho da rua”. Ademir Wiederkehr – secretário de Comunicação da CUT-RS.

Está marcada para o dia 11 de fevereiro, às 9h, na sede da CUT-RS, uma nova reunião da Frente em Defesa do Patrimônio Público, aberta à participação de todas as entidades que representam trabalhadores de empresas públicas estaduais e federais.

Fonte: Ascom Senergisul

Deixe uma resposta

Fechar Menu