O Dieese divulgou nesta semana o balanço de 2017 das 643 negociações salariais de trabalhadoras e trabalhadores do setor público e privado. Este é o 19º ano seguido que o estudo é feito.

Segundo o levantamento, houve redução no número de negociações finalizadas no ano passado em relação a outros períodos. Em 2016, por exemplo, foram 748 negociações e em 2015, 759. De acordo com o Dieese, a redução não é usual e pode ser uma consequência da reforma trabalhista que começou a afetar as campanhas salariais.

“É sabido que algumas das principais negociações coletivas brasileiras foram – e estão – sendo afetadas pela reforma: seja pela insegurança jurídica gerada, que poderia paralisar as negociações, seja por dificuldades maiores em chegar a acordo, em decorrência da ofensiva patronal em flexibilizar direitos trabalhistas”, avalia o estudo.

Sobre reajustes salariais, o estudo aponta que 8% das negociações foram finalizadas com recomposição abaixo da inflação, levando-se em conta o índice INPC, e 29% foram iguais. Acima da inflação, segundo o estudo, foram 63%.

Vale destacar que o índice INPC de janeiro a dezembro foi de aproximadamente 2%, enquanto o IPCA, no mesmo período, foi de 3%.

Leia aqui o documento: Balanço das negociações – Dieese

Deixe uma resposta

Fechar Menu