A Assessoria de Comunicação da Eletronuclear encaminhou nota de esclarecimento a respeito da matéria “Governo Bolsonaro promove condenado por liberação irregular de R$ 4,5 milhões em Angra 3”, replicada pelo site da FNU, em 15/1/19. 

Nota de Esclarecimento da Eletronuclear 

A Eletronuclear esclarece que as informações contidas na matéria “Governo Bolsonaro promove condenado por liberação irregular de R$ 4,5 milhões em Angra 3”, publicada no site da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) em 15/01/2019, são inverídicas. Ao contrário do que afirma o texto, o assistente da Diretoria Técnica da empresa, Roberto Travassos, não foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por liberar, de forma irregular, recursos para pagar obra superfaturada em Angra 3.

O TCU, dentro de sua função de fiscalizar obras públicas, abriu, em 2015, um processo de tomada de contas especial relativo a possíveis irregularidades na ampliação do Centro de Gerenciamento de Rejeitos (CGR), localizado na central nuclear de Angra. Por conta disso, Travassos – que, na ocasião da obra, era gerente de Planejamento e Orçamento – foi notificado pelo órgão juntamente com outros empregados. Todos os envolvidos apresentaram suas defesas ao tribunal, sendo que o executivo foi representado por escritório de advocacia contratado pela própria Eletronuclear. Desde então, não houve manifestação por parte do TCU.

É importante frisar que a promoção de Travassos ao cargo de assistente da Diretoria Técnica se deu em 1º de setembro de 2016 – ou seja, bem antes do início do governo Bolsonaro, ao contrário do que afirma a matéria –, sendo que, anteriormente, o executivo já vinha exercendo o cargo de assessor técnico da Diretoria de Planejamento, Gestão e Meio Ambiente por quase dois anos, a partir de novembro de 2014. Essas promoções se justificaram pelos mais de 30 anos de serviços prestados à empresa, ao longo dos quais Travassos adquiriu larga experiência técnica e de gestão, incluindo 11 anos à frente da Gerência de Planejamento e Orçamento.

Assessoria de Comunicação da Eletronuclear


Urbanitários na resistência: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

Deixe uma resposta

Fechar Menu