Em tempos sombrios para a cultura no Brasil, o filme “Marighella”, de Wagner Moura, é destaque fora de competição na 69ª edição da Berlinale. Outros dez longas brasileiros vão ser exibidos no festival de Berlim, um recorde de representação no evento.

Da enviada especial a Berlim

Seu Jorge vive o militante de esquerda baiano Carlos Marighella que lutou na guerrilha contra a ditadura e morreu numa emboscada em 1969. É a estreia de Wagner Moura na direção e a première mundial vai ser na sexta-feira (15).

“O recorte temporal é do golpe de 1964 até a morte de Marighella em 1969 – os últimos cinco anos de sua vida”, conta Moura em entrevista ao site Brasil de Fato. “Esse Marighella é o cara que resolve ir para a luta armada, resolve que a única possibilidade de lutar pela democracia, justiça social, liberdade, igualdade, é essa”, explica o cineasta.

Fonte: RFI

Deixe uma resposta

Fechar Menu