O governo ainda não decidiu se abre mão do controle da Eletrobras, afirmou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante café da manhã com jornalistas nesta quarta-feira 23 de janeiro. “Não tenho nenhuma ideia preconcebida sobre esse assunto. Não recebi nenhuma orientação do presidente sobre esse tema. Disse apenas que teríamos que voltar a ter a Eletrobras como uma empresa com capacidade de investir.”

Durante a entrevista, Albuquerque disse que o governo não tem uma posição fechada e que qualquer decisão sobre a situação da empresa será tomada de forma consensual com outros ministérios envolvidos. “Isso tudo está sendo discutido com o presidente da Eletrobras. Estamos discutindo dentro do ministério e com outros ministérios do governo que tem a ver com esse assunto.”

O governo vai dar sequência ao processo de capitalização da empresa, mas está estudando a melhor maneira de fazer isso, garantiu o ministro. O modelo de privatização proposto no governo Temer envolvia o aumento de capital sem a participação da União, que perderia o controle da empresa, mas manteria uma ação com poder de veto em decisões estratégicas. As ações seriam pulverizadas, e a participação de cada investidor ficaria limitada a 10%. O chamado modelo de corporação é defendido pelo presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr. (fonte: Canal Energia)

Leia também:
.Wilson Pinto Jr. afirma em entrevista que moldes para privatização da Eletrobras ainda não foram definidos
Eletrobras é uma empresa lucrativa: privatizar por quê?

Na venda das estatais não há preocupação com a função social: empresários só querem as que dão lucro

Urbanitários na resistência: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

Fechar Menu