Na tarde desta terça feira, 03/07, representantes da AGERCO, da ASTECOR, da ASTEC/SINTEC estiveram na Sede do SINDIÁGUA para trazer suas preocupações que na sua integralidade também são preocupações do nosso Sindicato.

A situação da Corsan com esta indefinição na gestão, pois já estamos no mês de julho e ainda há um alto grau de interinidade em funções que deveriam estar fazendo a Corsan andar e, por estas interinidades, o marasmo vai tomando conta.

O alto grau de terceirizações e contratos que nada trazem de bom para a Companhia, como contratos de performance (que na opinião do SINDIÁGUA é só mais um modismo do diretor que não teve capacidade nem para implementar isso dentro da Corsan. Preparou para estes contratos colocando a corsan no buraco e agora não consegue tirar) também estiveram na pauta da reunião.

Acordo Coletivo

As entidades, tal qual o SINDIÁGUA, estão preocupados com a falta de sinalização para negociação do nosso Acordo Coletivo. Parece que o quadro funcional, que faz esta Companhia existir, não é prioridade para o novo presidente. Aliás, até agora não sabemos ainda muito bem quais são as prioridades do presidente, embora tenhamos nossas desconfianças.

O SINDIÁGUA informou aos colegas que já estamos no terceiro ofício enviado ao presidente da Corsan na busca pela negociação do Acordo. Entendemos ser de fundamental importância o engajamento das entidades representadas na reunião para que possamos obter resultados mais rápidos e significativos. Tanto na defesa do nosso emprego quanto nas negociações do AC. Afinal, seja qual for a posição que o funcionário ocupe na Companhia, estamos todos no mesmo barco. Muito embora, a gente perceba o empenho de certos funcionários em entregar a Corsan que parece que já tem emprego garantido nas empresas privadas que vão assumindo nossas atividades. O caso da PPP é um exemplo.

Fonte: Ascom Sindiágua-RS

Fechar Menu