Dirigentes sindicais das regiões Norte e Centro-Oeste participam do 1º Congresso da Federação Interestadual dos Trabalhadores Urbanitários nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e DF (Furcen). O encontro está sendo realizado em Palmas (TO) até quinta-feira (25/10), onde será definida a nova diretoria da entidade para os próximos três anos.

Além disso, os dirigentes sindicais debatem questões relativas ao setor elétrico, saneamento, reforma trabalhista e a reforma da previdência. O atual momento político do país também foi discutido, assim como as privatizações que estão colocadas na plataforma de governo do candidato de extrema direita, que já anunciou que privatizaria pelo menos 50 empresas públicas no primeiro ano de governo, caso seja eleito.

Em sua fala, o atual presidente da Furcen, Cleiton Moreira, lembrou que a entidade nasceu no exato momento da extinção do imposto sindical, o que de certa maneira tem prejudica o funcionamento das atividades sindicais. “Não temos dinheiro, é verdade. Mas vontade de lutar pelos direitos das trabalhadoras e trabalhadores urbanitários temos muita”, destacou.

A dirigente sindical (diretora de Energia da CNU – Confederação Nacional dos Urbanitários), Fabiola Antezana, que também participa do Congresso, informou que os dirigentes aprovaram a instituição da Comissão Eleitoral, assim como o regimento interno da Furcen. “Não houve nenhuma ressalva”, disse.

Também participam do Congresso o presidente do Sindicato dos Eletricitários do Tocantins, Sérgio Aparecido, e o presidente da CUT do estado, Saulo Campos. (com informações: Stiu-DF)

 

Leia também:
Luta contra privatização da Eletrobras não acabou: continuamos firmes
. Vitória: Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras
 Haddad assina carta compromisso para não privatizar sistema Eletrobras e suas distribuidoras

. Haddad em carta aos urbanitários: “estaremos unidos na defesa do acesso à água e ao esgotamento sanitário”

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu