Como é prática permanente do Sinergia Gasista, nas assembleias da Campanha Salarial Comgás 2019, a direção sindical aproveitou para abrir a discussão sobre a reforma da Previdência, mais uma ameaça aos direitos da classe trabalhadora.

A reforma é um objetivo central do atual governo Bolsonaro, reunindo os interesses da elite empresarial do país que faz um grande lobby para que ela seja aprovada e para isso a mídia conservadora faz campanha para convencer a opinião pública. Por essas razões, é necessário
que o assunto seja debatido com base em informações reais e que os trabalhadores compreendam o que está em risco e o quanto vamos perder com as mudanças propostas para a Previdência Social.

Nossos direitos em jogo
Sobre a Campanha Salarial Comgás 2019, a direção do Sinergia Gasista lembrou aos trabalhadores que neste ano, termina a validade do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e, por isso, todos os direitos nele contidos estarão em discussão com a bancada patronal. Considerando esse fato, o sindicato propôs que não fosse incluída nenhuma reivindicação
nova, mas que o próprio ACT seja apresentado como nossa Pauta de Reivindicações, programada para ser entregue à Comgás na semana de 25 a 28 de fevereiro.

As intervenções dos trabalhadores foram para apoiar essa proposta que foi aceita por unanimidade em todas as bases da Comgás, de maneira que a Campanha Salarial deste ano será uma luta para preservarmos o nosso ACT. Ele representa o resultado de muitas lutas
de companheiros/as que nos antecederam. Nele estão garantias e proteções em relação aos nossos empregos, salários, benefícios e condições de trabalho. O ACT significa também um anteparo contra os efeitos da reforma trabalhista aprovada durante o governo golpista de Temer.

Como também é de praxe realizar-se na primeira assembleia, foi discutida democraticamente a sustentação financeira das atividades do Sinergia Gasista, ficando patente que um sindicato
forte e representativo é aquele sustentado pela decisão democrática e consciente dos próprios trabalhadores.
De acordo com esses princípios, os/as companheiros/as aprovaram por unanimidade o desconto da taxa negocial.

Julgamento dos embargos do dissídio

Dia 27, houve o julgamento dos embargos relativos ao processo de dissídio da Comgás, obtivemos mais uma vitória, pois os desembargadores julgaram que não houve nenhuma controvérsia no acórdão e também derrubaram por unanimidade o efeito suspensivo da sentença. Portanto, agora a empresa tem que fazer os pagamentos e esperamos que ela o faça em folha suplementar, ainda em fevereiro, e a segunda parte em março. A Comgás pode ainda recorrer ao Tribunal Superior do Trabalho, o que é normal, mas esperamos que ela não peça novamente o efeito suspensivo e faça os pagamentos devidos aos trabalhadores.

Fonte: Ascom Sindigasista-SP

Fechar Menu