A CUT conclama a todos e todas a lutar contra o preconceito e a discriminação racial que persiste no Brasil passado mais de um século da abolição da escravatura, pois o enfrentamento ao preconceito e à desigualdade deve fazer parte da agenda de todos os movimentos populares e sindical que lutam para construir uma Nação mais justa, inclusiva, onde todos sejam realmente livres.

A FNU – Federação Nacional dos Urbanitários – , em plena concordância com os apontamentos da nota da CUT, transcreve-a abaixo e também conclama a todos os urbanitários e urbanitárias a denunciar o preconceito e a discriminação racial.

Nota CUT
13 DE MAIO – 130 ANOS DE ABOLIÇÃO INACABADA

No próximo dia 13 de maio, registramos 130 anos  da abolição dos escravos no Brasil, um processo tortuoso e inacabado.  Fomos um dos últimos países a abolir a escravidão e o fizemos de forma gradual e lenta, sem assegurar aos ex-escravos as condições necessárias para sua integração social, econômica e política.  O resultado deste processo, passados 130 anos, é a situação de discriminação racial e de desigualdade social  a que é relegada a população negra, apesar dos/as negros/as serem a maioria da população brasileira.

A CUT sempre denunciou esta realidade como injusta e inadmissível. Não podemos deixar de aproveitar o próximo 13 de maio para  denunciar, mais uma vez,   os descaminhos  de abolição do trabalho escravo no Brasil. Esperamos que os sindicatos e entidades CUTistas juntem neste dia  trabalhadores/as negros/as e brancos/as para valorizar a contribuição dos escravos e seus descendentes na construção do país, para lutar contra o preconceito e a discriminação  racial e por uma nação onde todos sejam realmente livres e iguais.

PARTICIPE DO COLETIVO DE RAÇA DA FNU

Coletivo de Raça da FNU destaca-se por combater o racismo que está inserido na sociedade, e que se reproduz dentro das empresas da base urbanitária, e muitas vezes no interior das estruturas sindicais.

A conjuntura atual é desafiadora, pois o atual governo ‘ilegítimo’ federal, formado, majoritariamente por homens brancos e ricos, trabalha para desconstruir as políticas públicas implementadas pelo governo popular e democrático que o antecedeu e que garantiram avanços importantes para a população negra, como é o caso das cotas, o Prouni, o Fies, dentre outras ações afirmativas na área de Educação.

Assim, é fundamental ter o entendimento que é preciso se organizar nas entidades sindicais, lutar por um país mais justo e com igualdades racial.

Entre em contato conosco para saber mais sobre o Coletivo de Raça da FNU e passar a integrá-lo.

email: secretariageral@fnucut.org.br
telefone: (21) 2223 0822

Deixe uma resposta

Fechar Menu